Entrevista: Juliana Rodrigues – Produtora Editorial

O objetivo da criação da Gaveta de Freelancer sempre foi criar uma comunidade onde pudéssemos trocar experiências. Desse modo, nada mais legal do que trazer mais pessoas para acrescentar com suas histórias aqui também. A primeira entrevista que fiz foi com a Camila Rech, designer e criadora de conteúdo, e está lá no nosso Instagram, clique aqui para acessar.

E hoje vou conversar com a Juliana Cury Rodrigues, produtora editorial e criadora do “Algo Novo – Editorial” – projeto criado para compartilhar criações e conteúdos editoriais, contando mais sobre os bastidores da profissão e dos seus trabalhos. Com vasta experiência como freelancer e em produção editorial, ela vai compartilhar aqui histórias e dicas que a ajudaram durante os últimos anos conciliando trabalho fixo com os freelas.

1) Há quanto tempo você trabalha como freela?

Meu primeiro trabalho como freela foi em 2014 e continuei atuando desde então. Dei algumas pequenas pausas ao longo dos anos por motivos diversos, mas já são 6 anos na ativa hahaha. Agora, em plena quarentena, decidi que era hora de dar nome e personalidade para essa parte tão importante e especial da minha carreira profissional. Por isso, criei a @algonovoeditorial, um perfil para falar sobre o mercado editorial e também mostrar o meu trabalho.

2) Você tem trabalho fixo, certo? Conta um pouco sobre o motivo de você fazer freelas também.

Tenho sim! Eu comecei com os freelas logo depois de terminar o meu primeiro estágio e aí continuei fazendo mesmo depois de começar em outros empregos porque eu gosto mesmo hahaha. Hoje o meu trabalho fixo não é diretamente ligado à produção editorial, então eu faço os freelas principalmente porque amo fazer parte de projetos assim.

3) Quais os principais tipos de trabalho como freela para quem trabalha com produção editorial?

No mercado editorial, quase todas as etapas da produção de um livro são passadas para freelas na grande maioria das editoras. Os principais trabalhos são preparação, revisão, batida de emendas, capa e diagramação.

4) Qual foi/é a sua maior dificuldade?

Eu sou uma pessoa muito organizada. Mas, apesar disso, eu não tenho uma boa gestão do meu tempo. Então muitas vezes trabalho em horários nos quais gostaria de estar dormindo hahaha. O meu maior desafio é organizar corretamente meus horários de trabalho e descanso.

5) Qual seria sua principal dica de organização para quem tem trabalho fixo e também faz freelas?

Focar uma coisa de cada vez. Durante o horário comercial, eu foco totalmente no meu trabalho fixo. Ao decorrer do dia chegam várias mensagens e e-mails dos freelas, mas eu paro para responder no almoço ou no final do expediente. Não dá certo ficar dividindo a atenção a todo momento, então o melhor é ver uma coisa de cada vez e cada uma no seu tempo.

6) Que dica você dá para aumentar a cartela de clientes?

Não é nenhuma dica revolucionária, mas é sempre bom lembrar: mostre o seu trabalho, bota a cara no sol! Um dos meus maiores clientes me achou via Facebook depois de ver um livro bonito na livraria e encontrar o meu nome na página de créditos. Então coloque seu nome em tudo que você fizer, divulgue o seu trabalho, conte para os amigos. Resumindo: seja o seu maior fã hahaha.

7) Qual você acha que é a maior vantagem de ser freela?

O que eu mais gosto é a variedade de projetos. É muito difícil cansar dessa vida porque você está sempre trabalhando em algo novo, com pessoas diferentes etc. Então é sempre uma nova experiência!

8) Qual a maior desvantagem pra você de ser freela?

Para mim é a instabilidade do salário, algo que não me afeta porque eu tenho um emprego fixo. Mas para viver de freela é preciso ser bem organizado financeiramente pois a gente nunca sabe a realidade do próximo mês.

9) Qual a sua principal dica para quem quer trabalhar como freelancer?

Não tem como não ser clichê aqui, me perdoem: tenha paciência e estude/treine bastante. Não é da noite pro dia que a gente fica bom no trabalho e consegue uma cartela imensa de clientes. Quando eu olho os trabalhos que fiz alguns anos atrás, tenho muito orgulho, mas também vejo o quanto de coisa eu já melhorei até aqui. Ganhar experiência e confiança (em si mesmo e dos outros) é um processo ❤

10) Compartilhe uma dica de leitura/filme/série que tenha inspirado você na sua carreira

A minha última inspiração foi o livro “Faça boa arte” do Neil Gaiman. É um discurso que ele fez e foi transformado em livro. Uma leitura de 20 minutos que valem muuuuito a pena! Se você preferir, também pode assistir o discurso no YouTube.

Gostaram da entrevista? Acompanhem o trabalho da Juliana, e deixem aqui nos comentários sugestões de outras pessoas que poderiam participar desse quadro do blog.

Autor: Camila Mabeloop

Oi, meu nome é Camila Mabeloop. Sou jornalista, paulista, vegetariana e uma típica libriana, cheia de dúvidas. Mas algumas coisas são certas: sou apaixonada por livros, filmes, séries, chocolate e por passar horas CRIANDO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s